Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

sábado, 14 de junho de 2014

4137 - A Montenegro de 1933

No passado existiu essa praça, no centro da cidade, com o nome de Marechal 
Deodoro da Fonseca, também conhecida como Praça da Matriz


Em 1933, o centro de Montenegro era assim. Ainda não existia a praça Rui Barbosa, mas a Praça da Matriz era enorme. Nela, mais tarde foi construída a catedral e a escola Delfina Dias Ferraz. Todo o terreno dessa praça pertencia à Igreja Católica. A parte da escola Delfina foi doada pela igreja, para que a escola fosse construída. O restante foi vendido em terrenos, para manter a igreja e construir a catedral (que ficou pronta em 1965, mas ainda sem a torre).
O caminho em curva que se vê no canto inferior esquerdo da foto é o dos trilhos da estrada de ferro. Os trilhos e dormentes não são visíveis e, provavelmente, já haviam sido retirados. A ferrovia foi extinta no final da década de 1970.
Note-se que a cidade praticamente terminava na rua Capitão Porfírio (logo adiante da chaminé da Cervejaria Jahn, que ainda funcionava na época da festa. Atrás da velha igreja matriz, a cidade também não ia longe. Ela terminava na rua Osvaldo Aranha. Essa rua continuava como uma estrada, pela qual se ia ao interior do município (Pareci, Harmonia, Tupandi, Bom Princípio, São Vendelino Dom Diogo (atual São José do Sul), Salvador do Sul e outras localidades.
A praça terminava um pouco antes da rua João Pessoa. E pode se ver bem vários prédios dessa rua: a casa canônica e a casa onde funcionou a biblioteca pública (ambas situadas na esquina com a rua São João (a da igreja), o prédio da antiga câmara de vereadores e o da prefeitura.

Foto do acervo de Romélio Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário