Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

terça-feira, 24 de junho de 2014

4166 - O hospital São Pedro Canísio será desativado

O prédio do velho Hospital São Pedro Canísio pode
ser transformado em centro de cultura
Com a confirmação de que o novo hospital, junto da UPA, deverá reabrir nos próximos meses e com atendimento 100% SUS, ficou a dúvida com relação ao destino das instalações do antigo Hospital São Pedro Canísio.

Situado na área central, próximo da Prefeitura, o velho hospital tem 83 anos. Em amplas instalações, conta com 22 leitos. Mas as condições são precárias. Alguns quartos já foram desativados. O assoalho de madeira está tomado de cupim, com buracos que dificultam até a passagem de macas e cadeiras de rodas. Infiltrações causam goteiras. E os banheiros são comunitarios, sem separação entre masculino e feminino.

Por ser um patrimônio histórico, o velho prédio deve ser preservado. Conforme a atual presidente do Conselho de Administração do Hospital São Pedro Canísio, a ex-primeira-dama Adriana Seibel, o projeto do Governo anterior era de manter o nome e fazer uma permuta. Assumindo o novo prédio, o velho passaria para o município, devendo ser transformado num Centro Cultural. “Faz parte da memória de Bom Princípio”, afirma.

Mas agora Adriana se diz preocupada. “Ainda não existe uma posição oficial. A impressão que tenho é que estão deixando o Hospital São Pedro Canísio de lado”, teme. “Falaram que querem continuar a parceria, mas ainda não se sabe de que forma isso irá ocorrer”, diz Adriana. Ela ainda estranha que tenham fechado o novo hospital, no ano passado, porque não tinha bloco cirúrgico, cozinha e lavanderia. “Como agora vai ter um hospital sem bloco cirúrgico?”, questiona.

O vice-prefeito Luiz André Steffen confirmou que o interesse é de manter a parceria entre o município e o Hospital São Pedro Canísio, inclusive continuando com o mesmo nome. Ele cita que já ocorreram duas reuniões com a direção do hospital. “Estamos construindo. Está avançando”, garante. Quanto ao destino das atuais instalações do Hospital São Pedro Canísio, ainda não existe uma definição. Pelo convênio assinado com o Governo do Estado e onde estão sendo liberados 1 milhão e 800 mil reais, devem ser construídos cozinha, refeitório, farmácia, central de material esterilizado e alas de apoio no novo hospital, num total de 750 metros quadrados de área construída. A lavanderia será terceirizada e as cirurgias e partos poderão ocorrer no Hospital Schlatter, da Feliz.
Fim do convênio
O prefeito Vasco Brandt informou que o novo hospital será municipal. Portanto, será administrado pelo município, em convênio com alguma entidade. Sobre o convênio atual do município com o Hospital São Pedro Canísio, Vasco diz que será encerrado assim que o novo hospital estiver em funcionamento. Ele ressalta os serviços prestados pelo São Pedro Canísio, mas salienta a necessidade de mudança em razão das limitações e falta de estrutura do velho hospital. Com o novo hospital, a partir de 2015 acredita que Bom Princípio deve se tornar referência regional.

Como o novo hospital será 100% SUS e as novas instalações serão construídas com recursos públicos, do Estado e mais a parte já feita pelo município, o prefeito explica que não tem como repassar para uma entidade privada. Por isso diz que não será possível uma permuta pelo prédio do São Pedro Canísio, como chegou a ser ventilado anteriormente. Mas não descarta um novo convênio com a entidade na administração do novo hospital. Já com relação ao destino do atual prédio do São Pedro Canísio, Vasco entende que a comunidade deve decidir, já que foi a população que ajudou a construir. “Como é um prédio grande, pode ser usado para vários fins. Tem que se avaliar bem”, diz, fazendo sugestões como Centro Cultural e museu.

Prédio histórico
Inaugurado em 1930, o Hospital São Pedro Canísio é resultado do esforço da comunidade. Construído em sistema de mutirão, é um dos mais belos prédios no estilo neogótico erguido pelos descendentes alemães de diversas famílias, inclusive com a participação de imigrantes. Desde os tempos do médico alemão Júlio Hegedus e das freiras, tem servido a comunidade da região. Aos poucos foi sendo cercado de outros empreendimentos, como a própria Prefeitura, CTG, Centro de Cultura, ginásio, Centro Comercial. Mas o velho hospital permaneceu firme e forte. E por isso a sua desativação recebe resistência por uma parte da população. Mas Bom Princípio não tem demanda para manter dois hospitais. O que será feito, então, com o São Pedro Canísio?

Matéria de Guilherme Baptista publicada no jornal Fato Novo em 25 de junho de 2014


Nenhum comentário:

Postar um comentário