Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

1663 - Foto da chegada de imigrantes italianos ao Caí

Chegada dos primeiros imigrantes italianos ao porto de São Sebastião do Caí, 
provavelmente em 1885
Essa foto foi reproduzida no livro Os Italianos no Brasil, de Ângelo Trento, historiador italiano, grande conhecedor da imigração italiana para o Brasil. Segundo o autor, ela reproduz a chegada de imigrantes italizanos em São Sebastião do Cai numa data situada entre 1875 a 1880. Presume-se que o local seja o mesmo em que hoje se encontra o velho cais do porto.  Chama a atenção a densa floresta existente no local e o intenso movimento. O que dá uma ideia da epopeia vivida pelos imigrantes (primeiro alemães e depois italianos). Se a atual cidade de São Sebastião do Cai era assim naquela época, imagine-se o que era a serra gaúcha naquela época. Note-se a precariedade das embarcações: canoas e balsas. O rio não era mais fundo naquela época do que hoje e a navegação possível era essa. E foi assim que dezenas de milhares de imigrantes chegaram à nova terra. Note-se a existência de um barranco alto no lado esquerdo da foto, que havia em quase toda a extensão do rio. Já no lado direito, há uma declividade natuaral e uma praia. Por isso a localidade foi conhecida também como Praia, além de Porto do Mateus e, depois, Porto do Guimarães ou  dos Guimarães.
Foi a existência desse local apropriado que tornou viável o embarque e desembarque de cargas. O melhor local para isso na região. Do jeito que se vê na foto, com uma rampa de acesso possibilitando a chegada de carretas até bem perto do atracadouro, o Caí já era o melhor porto da região. Os melhoramentos foram sendo feitos aos poucos, até a década de 1920 ou 30, quando veio a ganhar as suas características atuais.
Note-se que as carretas se dirigiam a um determinado ponto, de onde tomavam o rumo do interior, numa estrada que corresponde - muito provavelmente - à atual rua Tiradentes (que antigamente chamou-se Rua da Praia) e era o início da Estrada Geral, ou Estrada Visconde de Rio Branco. O caminho utilizado pelos imigrantes italianos para chegar a Campo dos Bugres, onde existe hoje a cidade de Caxias do Sul.
Note-se que as carroças vistas na foto apresentam uma cobertura, aparentemente de lona, que lembram as carroças usadas nos Estados Unidos nessa época (conhecidas pelos filmes de farwest).
Observe-se na foto a seguir, enviada por Romélio Oliveira, que mesmo na estrada, pela qual as carretas deixam o porto, não se vê prédios. O que se percebe é a continuação da floresta. 
Nessa época já havia um razoável número de casas construídas no Caí. Mas elas não foram construídas próximas ao rio, devido ao problema das enchentes. O local mais próximo, livre de enchentes é a colina em que se encontram a igreja católica e a prefeitura. E foi lá que a cidade se desenvolveu primeiro. Com o tempo, devido ao grande movimento que o porto passou a ter no fim do século XIX e início do século XX, muitas construções foram ereguidas na região mais próxima ao rio. Apesar do inconveniente das enchentes.
Essa foto foi reproduzida no livro Os Italianos no Brasil, de Ângelo Trento, historiador italiano, grande conhecedor da imigração italiana para o Brasil. Segundo o autor, ela reproduz a chegada de imigrantes italizanos em São Sebastião do Cai numa data situada entre 1875 a 1880. Presume-se que o local seja o mesmo em que hoje se encontra o velho cais do porto.  Chama a atenção a densa floresta existente no local e o intenso movimento. O que dá uma ideia da epopeia vivida pelos imigrantes (primeiro alemães e depois italianos). Se a atual cidade de São Sebastião do Cai era assim naquela época, imagine-se o que era a serra gaúcha naquela época. Note-se a precariedade das embarcações: canoas e balsas. O rio não era mais fundo naquela época do que hoje e a navegação possível era essa. E foi assim que dezenas de milhares de imigrantes chegaram à nova terra. Note-se a existência de um barranco alto no lado esquerdo da foto, que havia em quase toda a extensão do rio. Já no lado direito, há uma declividade natuaral e uma praia. Por isso a localidade foi conhecida também como Praia, além de Porto do Mateus e, depois, Porto do Guimarães ou  dos Guimarães.

Nenhum comentário:

Postar um comentário