Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

2747 - Otto Vaske: o batalhador da esperança

Seu Otto trabalhava por um mundo melhor


George Otto Vaske  foi concebido na Alemanha e viajou para o Brasil dentro do ventre da sua mãe. Nasceu no Rio de Janeiro, pouco depois da chegada dos pais ao país. Mas a família não ficou muito tempo na cidade maravilhosa. Tomou o rumo do Sul, buscando as colônias alemãs. Esteve pouco tempo em Rio Negrinho e depois se fixou em Passo Fundo. 
George era o filho primogênito. Depois vieram os irmãos, que aparecem na fotografia familiar, junto com o pai e a mãe. 
George é o garoto que está de pé, entre a mãe e o pai.
Depois de estudar radiotelegrafia, conseguiu emprego na Varig como radiotelegrafista de bordo. Trabalhou também na Cruzeiro do Sul.
Depois de aposentado, procurou um lugar sossegado para morar e acabou encontrando um sítio nos arrabaldes do Caí. Veio para lá com a mesma esposa que o acompanhou até os 89 anos (dele) e com os filhos.
Embora tendo vindo para o Caí em busca de sossego, seu Otto não sossegou. Seu pai participou da Primeira Guerra Mundial e sofreu muito. Até o final da vida, guardou ferimentos no corpo e na alma.
Seu Otto aprendeu com o pai o valor da paz e a tragédia que são as guerras. Por isso ele era um pacifista e trabalhou intensamente pela divulgação do esperanto. Conseguiu, inclusive,  que o nome da antiga Estrada Júlio de Castilhos, onde morava, passasse a ser Rua Esperanto.
Por muitos anos, até o final da sua vida, seu Otto manteve uma coluna no Fato Novo, na qual defendia a preservação do meio ambiente, o bom censo e o progresso civilizatório de um modo geral. Ele sempre teve esperança de que o mundo poderia ser melhor e tentava contribuir para isso.
ESPERANTO
O esperanto foi criado pelo  médico judeu Ludwik Leizer Zamenhof, que publicou a versão inicial do idioma no ano de 1887., com a intenção de criar uma língua internacional de facil aprendizagem, que servisse para as pessoas do mundo inteiro se comunicarem.
Na época, as guerras eram episódios comuns na Europa e no mundo e Zamenhof esperava que a existência de uma língua simples, que se tornasse conhecida de pessoas de todos os países, ajudasse a comunicação e o entendimento entre os povos, contribuindo para a paz no mundo. A palavra esperanto, que tornou-se o nome da língua criada por ele, significa aquele que tem esperança. Como seu Otto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário