Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

domingo, 6 de outubro de 2013

2850 - Trio Montecarlo, em 1960

Em 1960, o Trio Farroupilha já havia se transformado em Trio Montecarlo

Em 1958, o Trio Farroupilha sofreu duas perdas, Erio Dumke abraçou a carreira de odontologista e Ulisses Soriano, promovido na Brigada Militar, foi transferido. 
Não bastasse isso, Egon sofreu a perda do pai. 
Todos estes acontecimentos fizeram com que o remanescente do Trio Montecarlo voltasse a residir em Montenegro.
Mas Egon não se desligou da arte musical e começou a dar aulas de violão no Conservatório de Montenegro. 
Recordou-se que o montenegrino Arno Bohn havia cantado no Trio Farroupilha uma vez e o portoalegrense Kurt J. Dutzig também. 
Os três fizeram contato, programaram ensaios onde Egon passou aos demais toda a sua experiência profissional, inclusive dando aulas de violão para Kurt. 
Consumiu nisso o ano de 1959 e, quando o trabalho foi concluído, foi apresentado por Egon para o seu amigo Maurício Sobrinho, que contratou o trio, patrocinado pela Varig, marcando a data de estréia para 10 de maio de 1960. 
Porém, o trio antecipou os primeiros shows e cantou no Lar Paroquial da Igreja Católica de Montenegro. 
O sucesso foi espetacular a ponto de ser programada uma nova audição para a semana seguinte no Cine Teatro Goio-En. 
A repercussão fez com que autoridades e amadores da arte instrumental e musical pedissem a reserva das  cadeiras nas primeiras filas. Aconteceu uma verdadeira explosão musical naquela noite inesquecível. 
Nas cadeiras  reservadas encontravam-se Germano Henke, Hélio Alves de Oliveira, Edgar Seelig, Carlos Gustavo Jahn Filho, Gustavo Koetz, Eva Machado Ody, Enio Pinalli, Walter Baumgartner e família, autoridades da Brigada Militar, o maestro da Banda da Brigada, professores do Conservatório e alunos. 
O apresentador foi José Carlos Schwartz, brincava trazendo bom humor ao espetáculo - 
"O Egon é ali da Costa da Serra e o Arno, do Pareci. Os dois são da colônia, ou seja, colonos do interior de Montenegro. O Kurt, não. Ele é da capital, gente fina", e todos riam.
Após o anúncio, o Trio Montecarlo deu um grande show de interpretação em vário idiomas levando alguns assistentes às lágrimas. No encerramento, foram aplaudidíssimos e cercados de inusitado carinho. Muitos disseram que o conjunto tinha a entonação maravilhosa de um pequeno coral. Egon sentiu-se feliz! O montenegrino que enaltecia a arte criara um novo terceto que logo seria reconhecido mundialmente.

Foto do acervo de Egon Arnoni Schaeffer

Um comentário:

  1. ao diretor do blog historias do vale do cai,renato klein,quero parabeniza-lo pelo resgate historico que fez do trio farroupilha e do trio monte carlo,comandado especialmente pelo grande musico egon schaeffer,o teu trabalho foi espetacular.resgatando um hiato que havia na parte musical do vale do cai,pois montenegro pertence ao vale do cai e tenho orgulho de dar minha modesta contribuiçaoo ao blog.parabens,novamente romelio

    ResponderExcluir