Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

2855 - Claudia Azevedo: do Caí para os grandes palcos mundiais


Uma carreira de sucesso, com grandes perspectivas

A soprano  Cláudia Azevedo realizou seu debut europeu em 2006, a convite do maestro italiano Alberto Zedda, no aclamado Rossini Opera Festival de Pesaro (cidade natal do compositor) na Itália, interpretando o papel de Corinna  em "Il Viaggio a Reims" com aOrchestra del Teatro Comunale di Bologna e direção cênica de  Emilio Sagi. Considerada a primeira cantora brasileira a participar do festival que ocorre a 34 anos, Cláudia teve sua atuação destacada pela revista espanhola Opera Actual : "Inevitabelmente hay que destacar la soprano brasileña Cláudia Azevedo, de timbre radiante". No mesmo ano estreia como Ännchen na ópera "Der Freischütz" de Weber em Valladolid- Espanha e apresenta-se em  recital com obras do Bel Canto e Mozart para os "Amics del Gran Teatro del Liceu" em Barcelona.
       O ano de 2011 marca seu debut em New York como Ismene em "Mitridate, Re di Ponto" de Mozart, ocasião em que obteve enorme sucesso junto ao público e a critica especializada, incluindo o jornal The New York Times,  que considerou seu canto "sweetly sensitive" (ver PRESS).
       Vencedora  dos concursos Audiciones Jovenes Voces Líricas delTeatro Colón (Buenos Aires, 2008), Concurso Internacional de Canto Aldo Baldin (Florianópolis, 2008) e Terceiro Prêmio Concurso Internacional de Canto Bidú Sayão (Belém do Pará, 2005), Cláudia tem participado regularmente das temporadas das principais orquestras brasileiras como solista convidada desde 2001. No Brasil apresentou-se em concertos e óperas com a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, Amazonas Filarmônica (Manaus), Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, Orquestra Sinfônica da Bahia, Orquestra Sinfônica do Paraná; Orquestras de Câmara Sesi-Fundarte (RS), Teatro São Pedro (RS) e Orquestra Unisinos Anchieta (RS), executando obras como Carmina Burana (Orff), Missa de Santa Cecília (José Maurício Nunes Garcia), A Criação (Haydn), Condor (Carlos Gomes) como Adin, Gloria (Vivaldi), Missa en Tempore Belli (Haydn), Cantata 51, Cantata do Café, Cantata 110 e Cantata 208 (Bach),  Nona Sinfonia  e Fantasia Choral - soprano I (Beethoven), Lobgesang op.52 (Mendelsohn), Carmen (Bizet) como Micaela, L'elisir d'amore (Donizetti) como Adina, Der Schauspiledirektor (Mozart) como Silberklang e  Le nozze di Figaro (Mozart) como Susanna.

        Trabalhou sob regência de Fabio Mechetti, Luiz Fernando Malheiro, José Miguel-Pérez Sierra, Alberto Zedda, Emil Tabakov, Karl Martin, Alessandro Sangiorgi, Antonio Borges Cunha, Richard Cordova, entre outros.

       Graduada em Música pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e especializada pelo Conservatorio Superior del Liceu de Barcelona, Espanha - como bolsista da Fundación Carolina-Madrid, Cláudia também aperfeiçoou-se na Akademie Bel Canto do Rossini Opera Festival de Wildbad (Alemanha), estudou música de câmara com o renomado pianista americano Dalton Baldwin e realizou master classes com Marylin Horne, Raúl Giménez, Viorica Cortez, Eduard Giménez, Raquel Pierotti, entre outros.

       Entre seus próximos compromissos destaca sua estreia no Theatro Municipal do Rio de Janeiro  como Fiorilla em Il Turco in Italia de Rossini, dentro da programação da Orquestra Sinfônica Brasileira, sob regência do maestro israelense Yuval Zorn  e sua estreia no Theatro Municipal de São Paulo sob regência de John Neschlinginterpretando Musetta na ópera La Bohème  de Puccini em produção dirigida pelo francês Arnaud Bernard. 

Foto e texto da home page de Cláudia Azevedo

Fo
nard.

Nenhum comentário:

Postar um comentário