Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

segunda-feira, 31 de março de 2014

3845 - Parentes que se transferiram para o Paraguai


Felipe Kuhn Braun entrevista, na Argentina, pessoas que emigraram 
do Vale do Caí para países vizinhos da América do Sul




O incansável Felipe Kuhn Braun  (na foto, com camiseta branca) esteve, mais uma vez, em viagem pelo norte da Argentina, colhendo informações sobre os colonos de origem alemã que, no início do século XX, emigraram para o norte da Argentina e para o Paraguai, em busca de terras baratas.

O jovem Felipe, a continuar assim, se tornará o mais importante historiador da imigração alemã no Rio Grande do Sul.

Ele fez, na sua página no Faceboook, um breve relato dessa sua viagem:



"Nesse final de semana estivemos (eu, Jürgen e Ursula Strauch) em Puerto Rico e Capioví, Misiones, Argentina. Como sempre,  para registrar as memórias dos imigrantes teuto-brasileiros que colonizaram o nordeste da Argentina no início do século passado. Entrevistamos e registramos, com câmeras e com escritos, as memórias que Marta Hilda Goralewski HufLeonor Kuhn e Irene Flach, que nos contaram sobre o início da colonização daquela região. 

Agradecemos a Noeli Gossler Heck, Agata Schoffen e ao Camilo Träsel, que nos acompanharam nas entrevistas. Gravamos mais de seis horas com essas pessoas, registros que certamente serão veiculados posteriormente. 

É fascinante a história dessa gente, de teuto-gaúchos (A maioria do Vale do Caí), que estavam em difíceis condições de sobrevivência depois do período da Primeira Guerra Mundial.  Sofriam pelas dificuldades financeiras, falta de terras e perseguições do próprio Estado Brasileiro e emigraram então para uma região de floresta virgem, onde fundaram cidades e iniciaram tudo do zero. 

Muitos pereceram, outros emigraram novamente, mas a maioria permaneceu ali e sobreviveu através da fé e de muito trabalho. Foi emocionante registrar essas histórias em mais de seis horas de entrevistas... 

Aos poucos escreveremos tudo isso, para que a memória dessa gente teuto-brasileira-argentina, não se perca pela ação do tempo."

Marta Hilda Gorlewski Huf comentou a sua participação no trabalho de Felipe:
"Realmente emocionante. Ademas, el compartir con estas personas fue mui grato. Un abrazo, desde Paraguay. Nuevamente, muchas gracias por incluirme en vuestro maravilhoso proyecto."

Nenhum comentário:

Postar um comentário