Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

segunda-feira, 31 de março de 2014

3846 - Cidades que deixaram de ser santas

Santo forte: em 1938, o nome de São Sebastião do Caí foi reduzido para Caí. 
Mas não por muito tempo.


Assim como os estados de Santa Catarina, São Paulo e  Espírito Santo, milhares de cidades brasileiras têm o nome de inspiração religiosa.
No Vale do Caí, temos São Vendelino, Salvador do Sul, São Sebastião do Caí, São José do Hortêncio, São José do Sul e São Pedro da Serra.
Montenegro já foi São João do Monte Negro e São João de Montenegro, antes de tornar-se apenas Montenegro.
Foi no ano de 1938 que muitos municípios gaúchos que tinham nomes de santo perderam a sua santidade. 
Foi assim com Montenegro, com São Sebastião do Caí e até com o distrito caiense de Santa Rita, que passou a chamar-se Berto Círio. 
Tempos depois, alguns desses municípios voltaram a usar o nome antigo, caso de São Sebastião do Caí, enquanto outros continuaram sem nome de santo, como Montenegro.
Na sua obra Monografia Caí, escrita em 1940, Alceu Masson explica a supreção do nome do santo na denominação do município da seguinte forma:

"Até o dia 1º de janeiro de 1939 - data em que, pela primeira vez se comemorou o "Dia do Município" - a denominação S. Sebastião do Caí vinha sendo geral e oficialmente usada. Por resolução do Conselho Regional de Geografia, que teve também o intuito de evitar confusões, daquela data em diante o nome da sede do município, extensivo à comuna, foi reduzido para Caí."

É muito possível que a influência do positivismo, que foi muito influente na proclamação da república brasileira e que constituía-se, também na base filosófica do Partido Republicano, tenha influído nessa decisão atribuída ao Conselho Regional de Geografia. 
O positivismo, criado pelo filósofo francês Augusto Conte, baseava-se na ciência e rejeitava o sobrenatural. Criou uma religião denominada Religião da Humanidade, que tinha os seus templos, rituais e doutrinas, e que negava as demais religiões. O positivismo foi muito influente no governo gaúcho e, possivelmente, influenciou a decisão tomada pelo Conselho Regional de Geografia em 1938.

No Caí, houve uma mobilização popular, certamente incentivada pela igreja católica, para pedir a volta de São Sebastião à denominação da cidade. O que aconteceu por volta de 1950. Em Montenegro não aconteceu o mesmo e o nome de São João ficou fora da denominação da cidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário