Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

domingo, 18 de maio de 2014

4035 - A história do Salão Primor

A história do Salão Primor, local das grandes festas do distrito de Costa da Serra, em Montenegro

13 de fevereiro de 20140
Antigo prédio do Salão Primor, onde até hoje são realizadas as grandes festas do distrito de Costa da Serra, em Montenegro. Foto: Arquivo Pessoal
Costa da Serra é um distrito de Montenegro. Foi lá, que, em 1899, o antigo Salão Primor foi fotografado, durante essa festa, possivelmente um Kerb, evento característico das regiões de colonização alemã que mobiliza toda a comunidade e tem como atrações muita dança, alegria, comidas típicas (com destaque especial para as cucas), e, naturalmente, litros de cerveja. Consta que esse salão teria sido construído por Edmundo Matzenbacher e era administrado por Magnus Matzenbacher. A família se estabeleceu primeiro em Bom Jardim, hoje Ivoti, que antes pertencia a Estância Velha. Depois transferiu-se para Média Santa Maria do Mundo Novo, hoje Igrejinha. Finalmente, por volta de 1878, um dos filhos do patriarca Guilherme Matzenbacher, iniciou, em sociedade com um membro da família Pereira, um loteamento na Costa da Serra. O Salão Primor foi destruído por um incêndio, mas, como as festas não podem parar, no mesmo lugar, foi construído um mais moderno. É ali, como sempre, e até hoje, que continuam acontecendo as grandes festas de Costa da Serra.
Colaboraram Matz Matzenbacher e Vitor Hugo Merke
Matéria e foto publicadas no Almanaque Gaúcho, de Ricardo Chaves, no jornal Zero Hora de 13 de fevereiro de 2014
Vale acrescentar que Costa da Serra, localidade do interior de Montenegro, é localidade mais antiga do que a sede do município. Começou a ser povoada ainda no século XVIII, por pioneiros lusos, que corajosamente se conquistavam  o território gaúcho, cuja posse ainda era disputada com os espanhóis e pelos índios selvagens. Ali, inicialmente, se estabeleceram vários estancieiros, que se dedicavam à criação de gado.
No final do século XIX, os filhos de descendentes de alemães nascidos nas velhas colônias (São José do Hortêncio, Picada Café, Linha Nova e outras dos vales do Sinos e Caí), por não haver mais terra disponível naquela região, foram obrigados a se transferir para o oeste, adquirindo lotes vendidos por comerciantes (geralmente de origem alemã, como o pioneiro Guilherme Winter, em Bom Princípio). Em Costa da Serra, portanto, foi Matzenbacher que adquiriu terras dos antigos proprietários de origem lusa e as dividiu em lotes (chácaras) para vender aos agricultores de origem alemã. Geralmente, casais jovens que buscavam um lugar para começar sua vida. Alguns deles trazendo filhos e os velhos pais junto consigo. A migração era feita em carretas, atravesando o rio Caí no passo de São Sebastião do Caí. Depois de colonizarem as localidades de Pareci e Harmonia, esses germânicos foram avançando mais, por localidades como São José do Sul, Maratá, Brochier e Costa da Serra. Também alguns imigrantes alemães que chegaram da Europa na segunda metade do século XIX se estabeleceram em colônias novas, como Costa da Serra e as demais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário