Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

terça-feira, 20 de maio de 2014

4046 - Igrejas destruídas por raios

No local onde hoje se encontra  a igreja de São Francisco de Sales, 
na sede do município de São José do Sul, houve antes uma igreja, 
feita de madeira, que foi destruída por um raio
Quando os imigrantes alemães vieram para o Brasil, no século XIX, a religião católica era oficial e não era permitida a prática de outra religião no país. Mas, como o governo tinha muito interesse na atração de imigrantes europeus, tapava um olho e deixava os colonos luteranos seguirem a sua fé, fazerem os seus cultos e, inclusive, construir igrejas. Mas, para que o desrespeito à lei não fosse muito flagrante, era proibido que os prédios das igrejas luteranas tivessem torres.
A Constituição Imperial Brasileira, no seu artigo 5, estabelecia que:
 “Todas as outras Religiões serão permitidas com seu culto doméstico ou particular em casas para isso destinadas, sem forma exterior de Templo.”
Com o tempo, a lei foi mudada ou relaxada e as torres passaram a ser erguidas também nas igrejas evangélicas. 
A liberdade para construir igrejas com torres foi recebida com alegria e muitas torres foram erguidas na região colonial.
Mas essa conquista não foi totalmente benéfica. Como as torres construídas antigamente não eram protegidas por para-raios, muitas igrejas foram destruídas por eles.
No Vale do Caí, temos dois casos conhecidos. O da igreja de Gauer Eck, localidade que tornou-se depois na cidade de Dom Diogo, sede do município de São José do Sul.

Na postagem 135 deste blog, encontra-se narrada a história de uma dessas igrejas, com base no livro escrito por José Adalíbio Fell. 

"Mas já em 1871 eles começaram a construir uma capela que foi dedicada a São Francisco de Salles. Mesmo nome que a bela igreja da atual Dom Diogo guarda até hoje. E ali foi rezada a primeira missa, pelo padre Miguel Keller, que teve para isto de se deslocar, andando no lombo de cavalo ou de mula, desde a paróquia de São José do Hortêncio. Esta paróquia foi a primneira no estado a contar com padres que sabiam falar o alemão. A igreja do Gauer-Eck foi uma das mais antigas construídas na região. Originalmente ela foi feita de madeira, mas em 1936 esta igreja foi destruída por um raio e teve de ser reconstruída no ano seguinte."

A outra igreja que foi destruída por raio foi a antiga igreja de Costa da Serra e o desastre, nesse caso, aconteceu em 1928. A igreja antiga ficava junto ao cemitério da localidade, que continuou no mesmo local de então. A igreja, depois de ser destruída pelo raio, foi reconstruída em outro local (o atual) situado a um quilômetro de distância da antiga.

Foto publicada pelo jornal Fato Novo



Nenhum comentário:

Postar um comentário