Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

sábado, 5 de julho de 2014

4207 - Prefeitos querem que a BR-448 seja prolongada ao Vale do Caí e à Serra

Prefeitos do Vale do Caí dão o primeiro passo para o prolongamento da BR-448

A obra é importante, também, por facilitar a comunicação entre Porto Alegre e a região da Serra

Além de deixar o Vale do Caí muito próximo de Porto Alegre, o prolongamento da rodovia vai beneficiar muito a comunicação com a região da Serra Gaúcha, que é o segundo maior polo econômico do estado
Em reunião realizada na UCS Vale do Caí, os prefeitos da região começaram uma mobilização que visa o prolongamento da BR-448 até o Caí. Em breve deve começar a obra de prolongamento dessa rodovia federal de Sapucaia até Portão e a proposta dos prefeitos é começar a mobilização para que a estrada seja estendida até o Caí.

Assim, por etapas, se chegará, um dia, a uma ligação moderna e rápida entre os dois principais polos econômicos do estado: a grande Porto Alegre e a Grande Caxias do Sul.

O trecho cuja construção os prefeitos do Vale do Caí estão pretendendo que seja construído é de apenas 14 quilômetros e chegaria até as imediações do campus da UCS Vale do Caí, no município do Caí. Com na BR-448 é permitida a velocidade de 100 quilômetros por hora. O tempo para o deslocamento do Caí a Porto Alegre não passaria de meia hora.

O prolongamento proposto passaria perto de Capela de Santana e, portanto, a BR-448 seria muito benéfica, também, para os montenegrinos.

O deputado Ronaldo Zulke, que teve fundamental participação no trabalho pela construção da BR-448, esteve presente à reunião e apoiou a proposta. Mas advertiu que uma obra desse porte só ficará pronta dentro de vários anos. Talvez leve uma década para ser concluída. Mesmo assim, ele acha que é válido começar agora o trabalho em busca desse objetivo.

Em vista disso, foi combinado que o presidente da Associação dos Municípios do Vale do Rio Caí, Rafael Riffel e outros dirigentes da entidade participarão, junto com o deputado Zulke, de uma reunião na superintendência do regional do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes, em Porto Alegre.

O próprio deputado ficou encarregado de marcar a região. Como Zulke trabalhou intensamente nas articulações políticas que levaram à realização das obras da BR-448 até aqui, ele pode ser a pessoa certa para orientar os prefeitos na busca desta obra, que terá importância fundamental para o desenvolvimento da região e do estado.

O deputado Zulke aceita ajudar no encaminhamento da reivindicação
Cesar Assmann, do Conselho de Desenvolvimento do Vale do Caí; Rafael Riffel,
da AMVARC e o deputado Ronaldo Zulke  vão levar a reivindicação ao DENIT 
Conforme o presidente da Associação dos Municípios do Vale do Rio Caí (AMVARC), o prefeito de Pareci Novo Rafael Riffel, o objetivo da reunião foi ampliar o estudo para trazer a Rodovia do Parque até o Vale do Caí. No seu entender a obra beneficiaria todo o Vale do Caí e também os municípios da Serra, diminuindo a distância até a Grande Porto Alegre.

Rafael lembra que Zulke teve papel importante no movimento que garantiu a construção da BR 448, que hoje liga a capital com Sapucaia do Sul (22,3 quilômetros), desafogando a BR 116. Ele também articulou uma audiência com o ministro dos transportes, César Augusto Rabello Borges, realizada na última quarta-feira, dia 4, em Brasília, quando obteve a confirmação da licitação para o novo lote de extensão da BR 448, que vai de Esteio a Portão. A licitação deve ser aberta entre estes meses de julho e agosto. Com isso ela irá facilitar o acesso ao futuro aeroporto, que deverá ser construído entre Portão, Nova Santa Rita e Capela de Santana.Esse novo prolongamento irá até a RS-240, na cidade de Portão, nas imediações da Casa das Cucas.

De acordo com Riffel, a intenção agora é prolongar a Rodovia do Parque até São Sebastião do Caí, na altura do campus da UCS, onde ocorrerá o seu entroncamento ligando com a RS 122. 

“Isso impulsionaria ainda mais o desenvolvimento da nossa região”, considera, entendendo que vai facilitar o deslocamento e atrair mais investimentos. 

Rafael Riffel defende uma grande mobilização no Vale do Caí no sentido de garantir esta importante obra.

Mesmo sabendo que um obra como essa não será realizada rapidamente, ele entende que é preciso começar logo a mobilização. Temos de seguir o exemplo do Vale do Sinos, que trabalha pela BR-448 há mais de uma década e agora começa a ver as obras acontecerem. Quanto antes for iniciada a mobilização, mais cedo o objetivo será alcançado. Mesmo que demore dez anos.

Matéria publicada pelo jornal Fato Novo

Nenhum comentário:

Postar um comentário