Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

domingo, 20 de julho de 2014

4259 - Clube Riograndense I

Frente do Clube Riograndense para a rua Ramiro Barcelos:
atual agência do Banco Itaú

No ano de 1881 dois grupos de canto coral existentes em Montenegro, se uniram e, daí surgiu o clube que hoje é conhecido como Clube Riograndense. Um deles chamava-se Eintracht (que significa Concórdia) e o outro Bruder Bund (Fraternidade).
Os grupos eram formados, basicamente, por imigrantes alemães ou descendentes de alemães e a língua que neles se falava era a germânica. Na época, a maior parte da população montenegrina era constituída de alemães ou descendentes desse povo.
Por isso a sociedade resultante daquela união também tinha nome alemão: "Gesang Verein Germânia". Ou seja, Sociedade Coral Germânia.
A nova associação era eminentemente cultural, cultivando as artes do canto e da música instrumental, além do teatro. Um esforço para preservar e transmitir aos jovens a rica cultura trazida por eles da Alemanha para o Brasil. 
Essa união aconteceu em 20 de agosto daquele ano, graças aos senhores Ruperti e Schneider, que lideraram as duas entidades. Foi Pedro Boss que propôs a fusão. 
A primeira reunião realizada com esse propósito contou com a participação de 42 sócios e foi realizada na casa de Guilherme Schüler, na rua então conhecida como Floresta, atualmente denominada  Ramiro Barcelos, na casa número º1306. Local onde se localiza hoje a agência montenegrina do Banco do Brasil. 
Os sócios fundadores foram Pedro Müller, Jacob Rick, Guilherme Einloft, Emílio Schaeffer, Georg Gerhard, Christiano Timm, Augusto Leser, Bernardo Griebler, Frederico Karst, Augusto Kothe, Jacob Augustin pai e filho, Christoff Augustin, Lourenço Augustin, Lourenço Kröff, José Scholz, Carl Huber, Christiano Ruperti, Peter Erichsen, Jacob Schaan, Germano Schneider, Germano Boos, Jacob Bender, Christiano Matte, Edmundo Schüler, Ferdinando Schwarz, Christiano Martini, Asmus Erichsen, João Stumf, Affonso Enck, Carl Grunewald, João Schüler, Guilherme Schüler, Christiano Stumf, Albino Drapper, Christiano Herzer, Pedro Dhein, Guilherme Holderbaum, Pedro Müller 2º, Miguel Schu, Eduardo Amberger, Franz Jahn, João Roden e Pedro Stumf. 
Esse último apresentou o estatuto social da entidade, em 25 de agosto do mesmo ano, aprovado pela primeira diretoria que tinha como presidente Carl Huber, Jacob Schaan como tesoureiro e o secretário Peter Erichsen.

PRIMEIRAS SEDES
O primeiro local de funcionamento do clube foi a casa de Emílio Schaeffer, que tinha uma farmácia na rua João Pessoa nº 935. Rua que, na época, chamava-se rua do Barão. Essa farmácia tinha o nome de " Popular" e o prédio pertencia a Balduino Queiroz, avô materno do atual médico Alexandre Rosa, filho do doutor. Niquinho Rosa. 
O Coral fez bastante sucesso nas suas apresentações e ali se manteve até a mudança, em 1887, para o prédio do Hotel do Comércio, que era mais amplo. Mesmo local onde, depois, foi instalada a sede " Sport Club Sete de Setembro". 
Em 1888, o coral já havia progredido bastante e se tornou misto. Transferiu-se, então, para a antiga residência de Emílio Schäffer, que ele havia transformado no hotel São João. E ali permaneceu até 1896, quando Emílio vendeu o hotel.

REGENTES
Essa farmácia tinha o nome de " Popular" e o prédio pertencia a Balduino Queiroz, avô materno do atual médico Alexandre Rosa, filho do doutor. Niquinho Rosa. 
O primeiro regente de coral foi Albert Von Groll e, depois, foi dirigido pelo pastor evangélico João Schwarz. Em 28 de janeiro de 1882, a regência passou para o professor Burchard e, em 5 de agosto, para Gustavo Jahn, no 1º aniversário da Sociedade. 

AMPLA ATIVIDADE SOCIAL
Paralelamente ao canto, a sociedade Germânia promovia atividades sociais e recreativas. Em 1889, quando ocorreu a proclamação da república, aconteceu um passeio fluvial com o vapor Germania. Em 1890 Oswin Zimmer, Gustavo Jahn, Frederico Schau e Oswaldo Hoffmann revisaram os estatutos. 
Em 1894, foram elevados à categoria de sócios honorários os sócios Henrique Pedro Boss e Gustavo Jahn,  devido aos relevantes serviços prestados. 
Em 1895, o renomado musicista Max Beutler assumiu a direção musical. 
Em 26 de outubro desse mesmo ano, foi comprado o terreno na Ramiro Barcelos, cujo pagamento foi feito no dia 7 de setembro para o proprietário Fernando Schmoler. 
Estava, com isso, definida a futura sede do clube e cinema Riograndense. Em 1896 fundaram a liga dos cantores Hugo Henig, Gustavo Jahn, Augusto Merg, Carlos Kersten e Max Beutler. Em 1898 saíram do Hotel São João e os ensaios eram realizados na residência de Gustavo Jahn na rua Capitão Cruz nº 1648, que, muitos anos mais tarde, veio a ser a moradia do doutor Domingos De Lucca.

SEDE PRÓPRIA
Em 22 de maio, o grupo resolveu construir uma sede de madeira, cuja planta foi feita por Germano Leser. Em 9 de junho, foi designada a comissão de construção da qual fizeram parte Germano Leser, Christiano Matte, João Reinher, Jacob Schaan e Hugo Henig. Em 1899, em 12 de maio, com admissão João Jacob Noll, o quadro social elevou-se ao número de 100. Germano Berner, secretário, deu à nova sede o nome de " GESSELCHAFT GERMANIA MONTENEGRO " e, em 19 de junho, realizou-se a primeira reunião da nova sede. Os festejos foram muitos.
Somente em 1901 os estatutos foram traduzidos para o português e, no dia 20 de agôsto, foram feitas as homenagens ao falecido Henrique Pedro Boos. 
Para a comissão de segurança e ordem pública foram designados  Carlos Petry, Julio Sauter, Felipe Wolf, Augusto Klohs, Leopoldo Matte e Pedro Lermen. Para a copa e música, Hugo Henig, Gustavo Jahn, Germano Leser e João Rheinher. Gustavo Jahn, neste mesmo ano, assumiu novamente a direção de canto e coral. 
Receberam diplomas de sócios honorários Gustavo Jahn e Germano Leser, bem como a esposa do falecido Henrique Pedro Boos.  

ENCONTROS DE CORAIS
De 1901 em diante, aconteceram os encontros de corais. Em 12 de outubro HOUVE o encontro chamado de " 2º BUNDES SANGERS FEST DO DEUTSCHER BUND FUR RIO GRANDE DO SUL " e, segundo Max Teodoro Leipnitz  e Carlos Valdemar Gottselig, o êxito foi grande. 
Em 1905, houve o terceiro encontro em Hamburg Berg ( Hamburgo Velho) quando Montenegro ganhou o primeiro prêmio com a composição de Max Beutler "WALDOINSANKEIT ".
Em 1926, ocorreu o 25º aniversário do Clube Riograndense, com pomposo baile no qual Christiano Matte foi aclamado sócio honorário.
Em 1929, houve um memorável pequinique festivo com todos os casais na localidade de Cafundó, hoje Santos Reis, e foi conquistado mais um primeiro lugar de canto coral em Hamburg Berg (Novo Hamburgo).
Em 1910, o tesoureiro Frederico Hamann projetou a construção da sede do clube com dois pisos, de material até o alinhamento à beira da calçada.
Em 25 de agosto de 1911, Gustavo Jahn é nomeado presidente honorário.

CINEMA
Em julho de 1911 havia começado a operar o cinema "14 de Julho" no sistema vitascope, com cenas animadas mudas e sem um enredo, fundado por Jacinto F. Zurade e José Maria da Cruz. Ele era situado na esquina das ruas Doutor Flores e José Luis. A platéia era dividida em 1ª e 2ª classe e o início da sessão era anunciando com espoucar de foguetes. 
Em junho de 1912, o 14 de Julho foi vendido em leilão para Carlos Welausen e em outubro para Albino Drapper, que era sócio e fundador do clube de material, concluido em setembro. 
Trocando o nome do cinema para cinema Familiar por sugestão de Gustavo Jahn. 
Nesse ano assume o coral Frederico Thiessen.  A frente de material do Clube Germania dominou o cenário. O interior era composto por um palco, no piso superior um salão de danças e além de tudo preparado para a arte,inclusive cinema. Nesse ano ainda realizou-se o 5º BUNDES SANGERFEST na nova sociedade e mais uma vez foi alcançado o 1º prêmio, cujo tema era " SANGER FESTUGROSS" sob a regência de Frederico Thiessen. 
Em 1915 o clube Germania (Clube Riograndense), em sociedade com Germano Leser e Francisco de Assis Carvalho, compra o cinema Ideal que estava localizado na rua Barão (atual João Pessoa) nº 1124, transferindo o cinematógrafo para as dependências do Germania Club. Gustavo Jahn providenciou uma nova tela que, na época, era quadrada e podia ser enrolada, pois os documentários eram de animação e mudos.Os acompanhamentos musicais ainda eram feitos com qualquer tipo de instrumento. Surgiu também o bolão, e o football club Montenegro, tiro de guerra e outras atividade. O Clube Riograndense abrangia uma grande variedade de atividades. Todas muito favoráveis ao desenvolvimento da cidade.

Texto de Egon Arnoni Schaeffer

Um comentário:

  1. Encontrei, Miguel Schu, talvez seja o pai ou tio de meu avô João Frederico Schu, nascido em 1889 - Montenegro

    ResponderExcluir