Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

quinta-feira, 24 de julho de 2014

4579 - Ereni Prates: a dona do Reposs Bar

A família acredita que Ereni sofreu um desmaio e caiu na piscina
Maria Ereni Prattes veio morar no Caí há 23 anos, quando adquiriu o prédio de uma antiga casa de repouso na encosta do morro do Angico, junto à RS-122. Ela instalou ali uma boate à qual deu o nome de Reposs Bar. Por muitos anos, o melhor estabelecimento do gênero no Vale do Caí. 

Pessoa simpática e séria, Dona Ereni conquistou a confiança e amizade de todos com que teve contato.
Ela era mãe de dois filhos, Lúcia Isabel e Luciano André Scain e tinha 61 anos de idade.

Nos últimos anos, Ereni alugou a boate e até a fábrica de embutidos (salames e similares) que construiu nos fundos do Reposs.

Seus filhos moravam fora, em Porto Alegre, e a visitavam em todos os finais de semana. Na manhã do último sábado, eles se dirigiam para lá no meio da manhã. Mas a filha, Lúcia, não conseguiu falar com Ereni. Ela não atendia o telefone. 

Durante a viagem Lúcia continuou tentando a ligação, mas a mãe não atendia. No meio da viagem, comentou que, certamente, algo havia acontecido. Para aumentar a angústia dos familiares, o trânsito estava congestionado em São Leopoldo, tornando a viagem mais demorada. 

Ao chegarem na casa, pasados 15 minutos do meio-dia, Lúcia viu que o fogão a lenha estava sem fogo, apesar de já haver passado o meio-dia. Isso lhe deu a certeza de que algo grave havia acontecido. 

Ela, seu marido, o sogro Léo Scain e a filha Mirela, de dez anos, vasculharam a casa e o terreno em torno dela até que encontraram o corpo de Ereni boiando na piscina junto à boate. Ajudada por sua filha, Lúcia tirou o corpo da piscina e constatou que a mãe estava morta.

A polícia foi chamada ao local e o corpo foi conduzido ao IML para necropsia. A conclusão foi de morte por afogamento. O corpo não apresentava nenhum ferimento.

Há dois anos atrás, Ereni havia sofrido um desmaio que causou queda repentina ao chão e, em consequência disso, ferimentos leves. 

Como, ao lado da piscina, havia uma vassoura e os chinelos de Ereni, seus familiares deduzem que ela estava varrendo o piso em torno da piscina e teve um desmaio que provocou a queda na água da piscina. A profundidade ali é de pouco mais que um metro, mas ela, desmaiada, não conseguiu evitar o afogamento.

Ultimamente, Ereni vivia uma boa fase na sua vida. Ela estava namorando, ia a bailes.Há pouco mais de um mês, havia nascido sua segunda neta, Maria Antônia.

Maria Ereni foi sepultada no Cemitério Municipal do Caí, com grande acompanhamento.


Matéria publicada no jornal Fato Novo, em 23 de julho de 2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário