Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

domingo, 14 de dezembro de 2014

5028 - O rio Caí será navegável até São Sebastião do Caí


Com a construção de barragem ou outras melhorias na hidrovia, rebocadores poderão levar chatas carregadas de mercadorias  até Monentenegro e o Caí

Nos rios, o transporte de cargas pode ser feito com o uso de rebocadores ou empurradores: barcos pequenos que rebocam ou empurram chatas carregadas de containers.
Essas embarcações não são de grande calado e podem navegar em trechos pouco profundos dos rios. O que possibilitaria a navegação até São Sebastião do Caí.

O terminal hidrorodoviário da cidade não poderá ser no mesmo local do antigo porto, pois exige amplo espaço para depósito de containers. Além disso, não é conveniente o trânsito de caminhões pesados por dentro da cidade. 

O lugar ideal para a implantação do terminal é a localidade de Pareci Velho, abaixo da barra do arroio Cadeia. Até ali o rio é mais profundo e, talvez, possa ser dispensada a construção de uma barragem. Pequenas obras de derrocamento (explosão de pedras submersas) e dragagem podem resolver o problema. 

Municípios como Tupandi e Caí têm grandes indústrias exportadoras e mesmo as empresas do Vale do Sinos poderão usar esse terminal.

A construção de uma barragem, se necessária, também é viável. Ainda mais que ela poderá servir, também, para a geração de energia elétrica. 

A barragem e a navegação, além de tudo, terão efeito positivo para o desenvolvimento do turismo no Vale do Caí.

No rio Tietê, um rebocador Capacidade de carga por comboio com quatro chatas transporta 6.000 toneladas com calado de três metros e velocidade de dez a doze quilômetros por hora. Um caminhão bitrem leva 48 toneladas. Um comboio leva 125 vezes mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário