Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

5104 - Napoleão Alencastro Guimarães era contrário ao monopólio estatal na exploração do petróleo

O senador Napoleão Alencastro Guimarãees foi contrário
ao monopólio estatal da extração de petróleo

O caiense Napoleão Alencastro Guimarães participou, ao lado de Getúlio Vargas da revolução de 1930, que levou Vargas à presidência da república. Depois disto, Napoleão desempenhou vários cargos de importância nos governos de Getúlio: 15 como ditador e quatro como presidente eleito. Napoleão desempenhou vários cargos importantes no governo de Getúlio Vargas, do qual se tornou um dos amigos mais próximos.
Foi no governo democrático de Getúlio, em 1954, que foi criada a PETROBRAS, depois de acirrados debates.
Alguns políticos da época defenderam a participação do setor privado na exploração do petróleo.
O senador Assis Chateaubriand, que presidia a Comissão de Transportes, Comunicações e Obras Públicas, foi favorável à participação de empresas privadas na exploração do petróleo, assim como o senador Oton Mäder, da UDN do Paraná.  o presidente da Confederação Nacional do Comércio, Brasílio Machado Neto, mobilizou as associações comerciais de vários estados do país em defesa da participação privada na  exploração do petróleo.
A Comissão de Transportes, Comunicações e Obras  Públicas, órgão do senado que era presidida pelo senador Napoleão Alencastro Guimarães. A opinião de Napoleão era divergente da maioria dos integrantes do seu partido, o PTB.
Mas prevaleceu a opinião daqueles que defenderam o monopólio do estado na exploração do petróleo no país. Posição que acabou se impondo graças à exitosa campanha que tinha por lema a frase "O petróleo é nosso".
Com isso, foi criada a Petrobras. Mas não se sabe se o monopólio foi uma boa decisão. Passados 70 anos, o Brasil não alcançou a auto suficiência na produção petrolífica e a Petrobrás, que muitos brasileiros viam com orgulho (provavelmente devido aos seus gastos milionários gastos em propaganda) tornou-se motivo de vergonha.
Na época, ele teve a coragem de contrariar a opinião dos seus companheiros de partido e acusado de ser um traidor do trabalhismo.
É um consolo saber que nosso senador estava com a razão.




Nenhum comentário:

Postar um comentário