Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

5309 - As terras de Frederico Michaelsen


A cidade de Nova Petrópolis respeita e preserva as suas origens culturais germânicas

Dando continuidade ao texto de Piccolo (1989, p. 62): Pelo cadastro pode-se perfeitamente verificar que muitos colonos receberam menos e outros mais de 100.000 braças quadradas como prescrevia a lei. 

Os prazos eram desiguais, não só em áreas como em qualidade. 
Um mesmo prazo podia ter partes boas e partes ruins. E nem sempre a área pequena e a má qualidade do terreno foram supridas com outras concessões. 
Na Linha Povoação o maior foi o de nº 5, com 100.500 braças quadradas, distribuído, em 1863, a Frederico Gilherme Bartholomay, que pagou o valor no prazo e vendeu-o, em 1866, ao professor Frederico Michaelsen, natural de Hamburgo, protestante. 
A condição de proprietário rural foi determinante para que Frederico Michaelsen tenha fixado raízes na colônia de Nova Petrópolis e lá prestado serviços à comunidade. 
É nessa mesma 9 O estudo mais detalhado sobre o Projeto de Restauração Católica estudado na Tese de Doutorado do professor Lúcio Kreutz se encontra no capítulo 6 - 
O professor paroquial católico teuto-brasileiro: função religiosa, sociocultural e política (2003, p. 157 a 192). História da Educação, ASPHE/FaE/UFPel, Pelotas, v. 14, n. 30 p. 181-205, Jan/Abr 2010. Disponível em: http//fae.ufpel.edu.br/asphe 199 região que se encontra a maioria de seus descendentes, muitos deles ainda na condição de pequenos proprietários, praticando a agricultura no interior do município. 

MEMÓRIAS DE UM PROFESSOR, de  Luiz Alberto de Souza Marques 

Nenhum comentário:

Postar um comentário