Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

sábado, 12 de maio de 2018

5386 - Assim como Barsília, o Caí nasceu como uma cidade planejada.

A prefeitura do Caí, então chamada de Câmara Municipal, administrava 
um grande município que incluía, inclusive, a atual cidade de Caxias do Sul



A ampliação da foto mostra que o que estava escrito na fachada do prédio 
era Câmara de Municipal


No século XIX não existiam estradas no Vale do Caí e, muito menos na Serra. Por isso o plano do governo imperial era levar os imigrantes até o Porto dos Guimarães, navegando pelo rio Cai. E, de lá, eles teriam de ir a pé até o local onde terras cedidas pelo governo os esperavam: no alto da Serra, .
A imigração era muito importante para o governo do imperador Dom Pedro II e, para concretizar o projeto, o primeiro passo foi criar uma cidade para dar apoio aos imigrantes no ponto máximo até o qual era possível ir de barco no rio Caí.
Esse lugar era o Porto dos Guimarães onde havia apenas um pequeno amontoado de casas.
Para viabilizar a colonização da região serrana (onde hoje existem as cidades de Caxias do Sul e Farroupilha) o governo imperial mandou construir um porto naquele local e, também, uma cidade.
Técnicos planejaram a cidade, com ruas largas e retilíneas. Sem demora foi criado o município de São Sebastião do Caí, com a instalação de uma câmara municipal (que exercia o poder executivo naquela época) e um forum. Tudo isso para que os colonos instalados na serra pudessem contar com um suporte mais próximo deles. Outras cidades, como São Leopoldo eram bem mais distantes.
Assim nasceram a cidade e o município de São Sebastião do Caí,  em 1º de Maio de 1875. e a câmara passou a administrar a região de Caxias do Sul e arredores, onde se instalaram milhares de imigrantes.
Caxias, assim como São José do Hortêncio, Feliz, Bom Princípio e São Vendelino, faziam parte do novo, e gigantesco, município de São Sebastião do Caí.
O tempo demonstrou o governo imperial estava certo ao investir no Caí. Milhares de imigrantes italianos passaram pela cidade e ali receberam algum apoio do governo, além de terras na nova colônia em cima da serra. E a colonização italiana foi um grande sucesso.
Na virada do século XIX para o século XX foi construído um porto em São Sebastião do Cai e uma barragem no Pareci, para tornar mais fácil o intercâmbio comercial da região serrana com o resto do  país e do mundo.
Neste período São Sebastião do Caí tornou-se uma das cidades mais dinâmicas do estado.
Depois que a estrada de ferro que liga Porto Alegre a Caxias do Sul, o porto de São Sebastião do Caí perdeu importância e a cidade mergulhou num período de crescimento lento que acabou lhe tirando o brilho adquirido nas décadas douradas de 1880, 1890 e 1990.
Empresas importantes que haviam se desenvolvido na cidade (Mentz, Renner...) transferiram suas sedes para Porto Alegre e o Caí mergulhou numa fase de estagnação que perdurou por décadas.
Assim como Brasília foi criada artificialmente, no interior do país, em área muito pouco povoada, também o Caí foi criado como parte de um plano de colonização e desenvolvimento.
Caí e Brasília foram criadas artificialmente, obedecendo a um plano e servindo a um grande propósito de interesse nacional: a atração de imigrantes europeus para servirem ao desenvolvimento do país.
OS VEREADORES GOVERNAVAM
Nas primeiras décadas da existência do município, o poder executivo municipal não era exercido por um prefeito, mas sim pelo presidente da Câmara Municipal.
Conforme consta na Wikipedia...

"As câmaras constituíram o primeiro núcleo de exercício político do Brasil. As câmaras e seus edis foram, por diversas vezes, elementos de vital importância para a manutenção do poder de Portugal na Colônia, organizando a resistência às diversas invasões feitas por ingleses, franceses e holandeses. Também, com o surgimento do sentimento nativista, já no século XVII, foram focos de diversas revoltas e distúrbios.

Brasil Império[editar | editar código-fonte]

Com a Independência do Brasil, a autonomia de que gozavam as câmaras municipais é drasticamente diminuída com a Constituição de 1824, e a Lei de 1 de outubro de 1828. A duração da legislatura é fixada em quatro anos e o vereador mais votado assumia a presidência da câmara, visto que até então não havia a figura do "prefeito", a não ser pela presente do alcaide (equivalente a prefeito, com poderes menores).

República[editar | editar código-fonte]

Com a Proclamação da República, as câmaras municipais são dissolvidas e os governos estaduais nomeavam os membros do "conselho de intendência". Em 1905, cria-se a figura do "intendente" que permanecerá até 1930 com o início da Era Vargas. Com a Revolução de 1930 criam-se as prefeituras, às quais serão atribuídas as funções executivas dos municípios. Assim, as câmaras municipais passaram a ter especificamente o papel de casa legislativa.
Durante o Estado Novo, entre 1937 e 1945, as câmaras municipais são fechadas e o poder legislativos dos municípios é extinto. Com a restauração da democracia em 1945, as câmaras municipais são reabertas e começam a tomar a forma que hoje possuem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário