Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

domingo, 15 de setembro de 2013

2714 - Frederico Mentz: lealdade e amor ao trabalho

Edifício Frederico Mentz
Edifício Frederico Mentz: homenagem a um grande líder empresarial
No ano de 1950, Anton Jacob Renner escreveu esse depoimento sobre o antigo sócio, conselheiro e amigo Frederico Mentz:

Frederico Mentz, exemplo de lealdade 
e amor ao trabalho

Talvez poucos dos que trabalham hoje nas indústrias Renner sabem por que a rua onde fica situado o nosso estabelecimento principal se chama Frederico Mentz. Creio, no entanto, que ainda haja empregados antigos que tenham conhecido Frederico Mentz, guardando a lembrança do seu tipo familiar e amigo, do seu temperamento expansivo e cordial que a todos cativava, e que era sempre o mesmo tanto para as
pessoas de sua posição como para os mais simples e humildes, que tinham dele todas as atenções e aquela camaradagem espontânea que era um traço marcante de suapersonalidade.
Direi alguma coisa sobre a vida daquele que foi um verdadeiro amigo meu quecontribuiu, de forma preponderante, para a fundação de nossas empresas. Será, ao mesmo tempo, uma pequena mas justa homenagem que lhe tributamos às vésperas da data em que, se vivo fosse, completaria 78 anos de idade.
Frederico Mentz nasceu a 15 de maio de 1867 no município de Montenegro e perdeu a mãe quando tinha somente 5 anos. Frequentou por pouco tempo uma das improvisadas escolas primárias que havia nas colônias daquela época, e trabalhou, desde criança até os 21 anos, com seu pai, como simples colono nas lides da lavoura edo campo. Somente com esta idade resolveu mudar de vida, indo residir com seu avô
numa localidade próxima de Caí. Depois de pouco tempo conseguiu um emprego de aprendiz na casa comercial dos Srs. Claudino de Melo Maia & Cia., naquela vila.
Dentro em pouco passou a gerente e alguns anos depois a sócio dessa firma, graças à sua inteligência, amor ao trabalho e uma natural habilidade de tratar com os homens, neles vendo em primeiro lugar suas boas qualidades e procurando relevar, dentro de seus limites, os defeitos que todos nós podemos possuir.
Durante todos esses anos de trabalho e de lutas, conseguiu suprir os conhecimentos que a escola primitiva e pouco freqüentada não lhe dera, chegando a alcançar cultura acima da do ambiente.
Deixando a firma Melo, associou-se ao Sr. Guilherme Trein e mais tarde entrou como sócio da já importante firma Christiano J. Trein & Cia. e que, graças ao seu espírito empreendedor e dinâmico, se tornou centro de formação de diversos empreendimentos que a tornaram a mais importante da zona do Caí e de todo o hinterland que canalizava sua exportação pelo porto daquele município. Entre os empreendimentos que mereceram seu apoio e para cuja fundação contribuiu de forma decisiva, figura a
firma A. J. Renner & Cia., hoje sob razão social de A. J. Renner Sociedade Anônima.
Principalmente durante as dificuldades dos primeiros anos, contou a nossa firma com a confiança irrestrita e a ajuda de Frederico Mentz. Houve mesmo uma ocasião em que dependeu de Frederico Mentz a continuação ou a liquidação da firma. 
Vale a pena relembrar o fato: era eu sócio também nas diversas empresas dirigidas por Frederico
Mentz e Christiano J. Trein , mas a mim cabia somente a direção da fábrica de tecidos, que então enfrentava as maiores dificuldades para vencer. Tratava-se de uma indústria inteiramente nova em nosso meio, que carecia de quase tudo para manter-se e desenvolver. Todos os outros estabelecimentos apresentavam lucro, menos o que eu dirigia.
Confesso que me sentia mal em participar nos lucros das empresas e não apresentar nenhum no meu setor, até pelo contrário acusando prejuízos. Vivi momentos de aborrecimento, porque não podia prever quando a situação poderia melhorar. Compreendendo a necessidade de mais capital para a fábrica, como condição essencial e indispensável para o êxito do empreendimento, e na suposição de que Frederico Mentz não
aprovaria a minha opinião, disse-lhe um dia que talvez fosse melhor liquidar a firma. 
É natural que tenha dito isto com certa mágoa, pois acreditava firmemente nas possibilidades do sucesso. E foi então que tive do companheiro leal, a prova mais cabal da confiança que ele depositava em mim e da sua amizade sincera. Perguntou-me simplesmente: “Mas tu pensas que vamos vencer?” – ao que eu respondi com entusiasmo:
“Que sim, mas que nada podia garantir.” Frederico Mentz encerrou o assunto com estas palavras, que não mais esqueci: “Bem, se acreditas que venceremos, então vamos continuar e podes dispor do capital de que necessitas.” Foi essa aproximadamente, a palestra que tivemos. 
Daí por diante, começou a marcha acentuada do estabelecimento fabril. Não sem dificuldades e obstáculos no caminho, pois muito foi preciso de tenacidade, de espírito de sacrifício e principalmente, de muitíssimo trabalho. E Frederico Mentz, até o fim de sua vida laboriosa, continuou a ser o amigo e conselheiro de sempre. Novas dificuldades surgiam a cada passo
e muitas delas dificilmente teria eu conseguido vencer sem a sua participação sempre
inteligente e desinteressada. 
Mesmo depois do grande desenvolvimento a que atingiu a fábrica, ainda continuava a considerá-lo como chefe, apesar dos seus protestos, e isso como uma demonstração sincera do meu respeito e reconhecimento pelo muito que ele fez em benefício da nossa firma, quer financeiramente no início, quer comoconselheiro que foi até o fim da sua existência dedicada exclusivamente ao trabalho honesto e fecundo.
Frederico Mentz aliava às qualidades de lutador e de amor pelo trabalho, duas outras virtudes que podem servir sempre de exemplo: a tolerância e o prazer de servir.
Todos os dias ele nos dava provas dessas qualidades e creio não errar em dizer que
elas, por serem inatas nele, contribuíram grandemente para o êxito que obteve em sua
vida. E, para nós que tivemos a ventura de trabalhar durante vários anos ao seu lado, o
exemplo que nos deu foi, sem dúvida, a nossa melhor escola.
Frederico Mentz faleceu a 13 de agosto de 1931, ainda relativamente moço,  pois contava 64 anos de idade. A Prefeitura Municipal de Porto Alegre, num ato de justiça, concordou em dar o nome de Frederico Mentz à rua onde está localizado o edifício principal dos nossos estabelecimentos, a cuja história seu nome ficará sempre ligado pelo valor do seu caráter, da sua lealdade e pelos serviços que prestou à indústria e ao progresso do Brasil.

Depoimento publicado em A. J. Renner, Discursos e Artigos

http://www2.al.rs.gov.br/biblioteca/LinkClick.aspx?fileticket=2XQW0SJIYcU%3d&tabid=3101&language=pt-BR

Nenhum comentário:

Postar um comentário