Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

terça-feira, 1 de abril de 2014

3849 - 2.131 pessoas compareceram na despedida de Egon Hoerlle

A assembléia dos sócios da cooperativa Certel teve participação record


As cooperativas Certel e Certel Energia tiveram, na manhã de segunda-feira, dia 31, as maiores Assembleias Gerais Ordinárias de suas histórias. Realizadas em um dos ginásios do Parque do Imigrante, em Lajeado, 2.131 associados e familiares compareceram ao evento e participaram das decisões constantes nos Editais de Convocação das assembleias, conforme determinam os Estatutos Sociais das cooperativas. A mobilização dos 250 líderes e vice-líderes de núcleo, que organizaram ônibus dos 47 municípios abrangidos, foi considerada pela direção como primordial para o sucesso da reunião, demonstrando o interesse dos associados com os assuntos tratados.

Sucessão
Além de destacar as atividades desenvolvidas no ano passado, as assembleias contaram com a eleição dos novos Conselhos de Administração. Depois de 43 anos à frente da gestão das empresas, o presidente, Egon Édio Hoerlle, anunciou que era hora de oportunizar a sucessão administrativa. Neste sentido, uma nova chapa, encabeçada por Erineo José Hennemann, que até então era o vice-presidente, por Hoerlle na vice-presidência e Silvério Brune como secretário, recebeu a aprovação unânime dos associados presentes.

Lembranças
Hoerlle, que foi homenageado através de um vídeo com imagens de sua trajetória e recebeu uma placa de agradecimento dos colaboradores e diretores, sendo calorosamente aplaudido pelos associados, lembrou de quando foi convidado, em 1971, a assumir a presidência da cooperativa, época em que ela era pequena e contava com apenas 586 associados. Disse que a Certel foi revolucionária na região, levando energia às mais distantes localidades. “Muitas vezes, tínhamos de convencer as pessoas a se associarem, pois a energia elétrica era considerada um artigo de luxo, e não um insumo de produção, que também proporciona lazer e conforto”, recordou.
Ele sublinhou a contribuição da cooperativa para o crescimento da economia regional. “Fomos um importantíssimo agente propulsor do desenvolvimento, e contribuímos substancialmente para que muitos distritos se transformassem em municípios”, disse. “Neste momento, invade o meu coração um sentimento de muita emoção, pelo longo período que estive no comando das cooperativas”, completou.

Ampliar competências
Ao novo presidente, que o acompanhará liderando a gestão das cooperativas, deu um valioso conselho. “Hoje, temos que ser líderes descentralizadores, que inspiram, motivam, que ampliam competências e, acima de tudo, que ouvem antes de serem ouvidos. A gerência deve ser participativa e integradora”, pontuou Hoerlle.

Honra e emoção

Como presidente eleito, Hennemann disse que ver o associado participando em massa das decisões da sua cooperativa emociona e serve de estímulo a acreditar cada vez mais no desenvolvimento. “Sinto-me profundamente honrado com o convite e a missão que me foi confiada pelo presidente Egon. Trata-se de um momento ímpar na minha vida, uma realização que, a partir de uma carreira profissional, me dá a oportunidade de liderar a maior cooperativa de energia do país, com mais de 63 mil associados, a Certel Energia. Da mesma forma, a Certel que, através de suas atividades diversificadas, é uma referência no desenvolvimento socioeconômico gaúcho”, afirmou.

Matéria de Samuel Bünecker

Nenhum comentário:

Postar um comentário