Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

sábado, 20 de setembro de 2014

4822 - A rua Ramiro Barcelos na década de 1960



O fotógrafo montenegrino Milton Schwambach produziu uma grande série de postais de Montenegro, no início da década de 1960. Depois mudou-se para os Estados Unidos, mas os seus postais são o mais precioso registro visual de uma Montenegro lembrada com saudade. 
Na época conhecida como Capital do Tanino, Montenegro também realizava as suas festas da laranja. Evento que contou com o comparecimento até de um presidente da república (Emílio Garrastazu Médici).
O Cine Tanópolis apresentava os grandes sucessos cinematográficos da época e concorria com o Cine Goio En. A televisão ainda era coisa para muito poucos e a indústria automobilística, embora empolgasse o país (também eufórico pela conquista dos seus dois primeiros campeonatos mundiais de futebol e pelo sucesso internacional da bossa nova) produzia poucos carros perto do que acontece  hoje.
Montenegro era beneficiada pelas duas excelentes administrações de Hélio Alves de Oliveira, que levaram a cidade a ser apontada como uma das melhor administradas do país.
Esta rua é a Ramiro Barcelos e a foto foi feita no ponto onde  hoje se encontram as lojas Colombo e Solar. 
A foto foi feita em direção ao rio e a primeira esquina é com a rua Osvaldo Aranha. O ponto mais central da cidade. Ali se avista o prédio do Doutor Teixeira, com dois pisos além do térreo e paredes brancas (lado direito da rua). Prédio construído pelo médico Heitor Teixeira era o maior empreendimento imobiliário de Montenegro até então.
Note-se como, em toda extensão da rua, muito poucos automóveis podem ser vistos. E essa era a principal rua de uma das cidades mais progressistas do estado.
Mesmo com tão poucos veículos, a esquina da Ramiro com a Osvaldo já tinha sinaleira.  E era necessário, pois os motoristas eram muito despreparados e imprudentes. É impressionante o número de montenegrinos que morreram em acidentes  automobilísticos naquela época. As mortes aconteciam principalmente com integrantes da elite social da época, pois somente eles possuíam automóveis naquele tempo.
Os carros mais próximos são um DKW e um Volkswagen Sedan (o popular Fuca ou Fusca), Ambos de fabricação nacional.
Postada na página de Facebook Montenegro de Ontem, essa foto provocou comentários: Eloísa Galetto lembrou que, do lado  esquerdo da rua, logo adiante  do DKW, se encontra o prédio do Hotel Montenegro e, em  seguida, se vê o telhado da casa do Doutor Simões. Ela também notou a limpeza da rua. Observe-se, também, que ela já era asfaltada. Coisa ainda rara, naquela época, em cidades do interior. 
Pedro Piqueres ressaltou que a Ramiro era rua de mão dupla, naquela época e que os postes  eram dos dois lados da rua e haviam muitos fios. Informou também que onde se vê o primeiro muro do lado direito da rua, branco e com barras cilíndricas, havia uma linda casa, no fundo do terreno, que apresentava um aclive. O terreno, depois, foi nivelado e construído o prédio em que hoje se localiza a loja Solar.

Foto do acervo de Flávio Brochier

Um comentário:

  1. correçao ao amigo renato.milton inicialmente veio de estrela,sua cidade natal,,depois veio a montenegro como foto real.tinha seu atelier ao lado do cine tanopolis.depois se mudou onde reside e mudou nome para foto milton.quem se mudou para os estados unidos foi outro fotografo,herbert rufkin,o foto rex.milton reside ate hoje em montenegro.abraço romelio

    ResponderExcluir