Google+ Followers

Google+ Followers

Google+ Followers

domingo, 4 de fevereiro de 2018

5278 - Povoadores de Montenegro resolvem enfrentar os índios

Depois de serem removidos das áreas que eram doadas para imigrantes,
os índios foram acampados em áreas mais distantes, no norte do estado,
e mudaram de hábitos, recebendo alguma assistência e tornado-se pacíficos

Por volta do ano de 1832 um morador da localidade de Costa da Serra, chamado Custódio Machado, resolveu unir os moradores da localidade e arredores com o objetivo de dar um basta nos ataques promovidos pelos selvagens.

O objetivo, pelo que é relatado no livro Montenegro, de José Cândido de Campos Netto, era de exterminá-los.
Com o objetivo de acalmar o pânico diário das famílias,  foi formado um grupo composto por 18 homens armados, incluindo um irmão de Custódio, que era ainda um menino, e partiram em direção à "alta cordilheira da Serra".
Eram nas densas florestas da encosta, em terrenos desabitados por serem impróprios para a agricultura e criação de gado, que os índios se escondiam naquela época e de onde partiam para roubar nas roças dos colonos.
Andando pelo meio da mata, vagou por bom tempo, até que começaram a encontrar vestígios da presença dos selvagens. Até que, ao cair de uma tarde, subindo numa árvore alta, um dos expedicionários avistou a fumaça de uma fogueira, que se elevava no meio da mata. Sinal quase certo de um acampamento dos indígenas.
Como já era tarde, os Custódio Machado e seus companheiros resolveram deixar o ataque aos selvagens para o amanhecer do dia seguinte. Quando fizeram isso, no clarear do dia, os índios já haviam fugido do local. Provavelmente já haviam percebido a vinda do grupo dos montenegrinos da Costa da Serra.
Ainda haviam fogueiras acesas, com espetos de carne de anta, porco e veado. 
Cumprido o objetivo de afugentar os selvagens, o grupo se deu por satisfeito e voltou para as suas casas.
Essa expedição deixou, na memória dos aventureiros, uma impressão muito positiva de uns campos muito fartos, que avistaram no alto da serra, o que deixou alguns deles com vontade de retornar. Esses campos, provavelmente, são da localidade de Campestre Baixo, no interior de Salvador do Sul. Local que, nos séculos XIX e XX, servia como local para repouso e  alimentação do gado  na trajetória de tropeiros de gado da região dos Campos de Cima da Serra para a capital e região central da província.
Note-se que uma das principais atividades econômicas da Fazenda Montenegro era a criação de gado para a produção de charque (carne seca e salgada muito usada na alimentação humana naquela época).

Fonte Arquivo Municipal de Montenegro,  transcrito no livro Montenegro, de Campos Neto - Foto do Arquivo Nacional divulgada na Wikipedia

Nenhum comentário:

Postar um comentário